Início / Hqs e Livros / Trilogia dos espinhos – Mark Lawrence

Trilogia dos espinhos – Mark Lawrence

“Vou lhes dizer: o silêncio quase me derruba. É o silêncio que me apavora. A página em branco na qual posso escrever meus medos. Os espíritos dos mortos não têm nada a ver com isso. Aquele morto tentou me mostrar o inferno, mas não passou de uma pálida imitação do horror que sou capaz de pintar na escuridão de um momento quieto.”

prince of thorns trilogia dos espinhos projeto supremo

Jorg Ancrath, esse é o cara!

Dito isso, somos apresentados em um ambiente caótico, dark, sanguinário e cruel onde temos o ponto de vista do príncipe Jorg. Quando criança ele testemunha o brutal assassinato de sua mãe e irmão caçula, Willian, quando Jorg foi arremessado em um arbusto de roseira brava (dai o nome pra trilogia dos espinhos. Gênio!) na qual rasgavam sua pele e lhe impediam de salvar sua mãe enquanto era brutalmente violentada e vendo o seu irmão sendo arremessado contra uma rocha e tendo sua cabeça esmagada.

Depois de ser resgatado Jorg alimenta uma sede de vingança nada comum para um garoto, ainda mais quando percebe que o ocorrido foi por motivos políticos e por isso, seu pai não toma nenhuma providência.

Nesse ponto acompanhamos dois períodos temporais de Jorg, o passado e o presente, ambos com narrações bem elaboradas em primeira pessoa contada pelo próprio personagem. No passado conhecemos um Jorg maquiavélico, frio calculista, motivado por uma sede de vingança, e ao mesmo tempo se sentindo fraco por não ter feito nada e por não ter ciência do que o homem pode ser capaz em prol da ganância por poder.

No presente temos Jorg um homem feito com 14 anos (na Idade Média, a expectativa de vida era bem menor e por isso garotos desta idade já eram considerados homens), líder de um bando de mercenários. Conhecemos sua genialidade e também o sangue frio para muitos atos que ele faz.

Os mercenários são personagens marcantes como: o carismático Makin, o misterioso Nubano, o insano Kent o rubro, o explosivo “pequeno Rick” ou o enigmático Simon. Esses são só alguns dos personagens que nos são apresentados no decorrer da trilogia. Com um humor negro e acido. Acompanhamos as aventuras de Jorg a sua trupe de mercenários, que sempre encaram desafios que tem tudo pra dar errado.

King_of_Thorns_map trilogia dos espinhos

Jorg muitas vezes ultrapassa o conceito de anti-herói e age como vilão não hesitando em matar, mutilar e destruir , mas com o decorrer da história entendemos o motivo de suas ações. O livro se ambienta em um universo medieval, mas o modo como nos é apresentado o universo é de forma sensacional, com pistas e relatos de um universo pós apocalíptico, com varias referências a filósofos gregos, sociedades, cultura e religiões baseadas na nossa realidade.

No decorrer da trilogia acompanhamos a evolução do personagem, que procura sair da sombra da vingança, para alcançar objetivos maiores e que aparenta serem impossíveis, motivos pelos quais Jorg pode ser considerado o cara. Quando falam para ele que algo é impossível, aí é que ele vai lá e faz.

Esse seria um personagem que faria um estrago no universo do tio Martin. Os flashbacks serão uma constante em toda trilogia, mas de forma muito bem elaborada, iremos presenciar as mitadas, e assim saberemos o que leva a cometer tal decisão no presente.

Bom, dito tudo isso, só finalizo afirmando que a trilogia é foda! Falo isso de leitor pra leitor, não irei entrar em mérito de falar em tipo de escrita do autor, tipo de folhas que foi utilizada para imprimir o livro, ou fica procurando erros ortográficos. O importante é saber se da pra se divertir na leitura e esse livro é um tiro certeiro pra quem procura emoção e personagens marcantes. As capas da editora DarkSide são lindas,e a minha preferida é a capa da segunda edição.

princeofthorns trilogia dos espinhos projeto supremo

Por muitíssimo tempo, não estudei nada além de vingança. Construí minha primeira câmara de torturas nos recantos escuros da imaginação. Deitado sobre lençóis de sangue na Sala de Cura, descobri portas dentro de minha cabeça que eu não havia encontrado antes. portas que até mesmo uma criança de nove anos sabe que não devem ser abertas. Portas que nunca se fecharam novamente.

“Eu escancarei essas portas”

 “O segredo é saber que só há um jogo e as únicas regras são as suas.”

Gostou? Compartilhe!!!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sobre Zana

Deixe uma resposta