Início / Séries e Filmes / Porta dos Fundos: Contrato Vitalício – O Youtube no cinema

Porta dos Fundos: Contrato Vitalício – O Youtube no cinema

Contrato Vitalício é o primeiro longa lançando pela produtora Porta dos fundos. O Filme é estrelado por Gregorio Duvivier e Fabio Porchat, além de todo o restante da trupe do Porta dos Fundos.

Contrato Vitalício

Sinopse Oficial.

Dois amigos, o diretor Miguel (Gregorio Duvivier) e o ator Rodrigo (Fabio Porchat), recebem o grande prêmio do júri num badalado festival internacional de cinema. Depois de beberem demais, Rodrigo assina um contrato para participar do próximo filme do cineasta. Miguel desaparece e ressurge dez anos depois com uma proposta de fazer um longa delirante. Rodrigo já é famoso e desconfia da sanidade do diretor. Para piorar, percebe que para honrar o contrato será obrigado a fazer um filme que pode destruir não apenas sua carreira, mas sua vida.

Quando já estava dentro do cinema esperando o filme começar eu me lembrei de algo que o Homer falou no filme dos Simpsons, em determinado momento ele se questiona do porque estar assistindo um filme do Comichão e Coçadinha no cinema quando ele poderia estar assistindo de graça na TV, ele fala isso e logo em seguida ele se diz que quem faz isso é otário e aponta diretamente para nós, o público pagante. Nesse momento eu pensei um pouco sobre isso e me questionei se o filme iria oferecer algo de diferente ou se seria somente mais do mesmo que podemos achar de forma gratuita na internet.

Óbvio que para isso eu teria necessariamente que ir e assistir o filme para tirar minhas próprias conclusões, então esse pensamento não deixou que a frase do Homer me afetasse muito (ou então eu estava arrumando uma desculpa para mim mesmo, sei lá). O fato é que eu fui e vi o filme e vou deixar aqui minha opinião sobre o mesmo para quem tem as mesmas dúvidas que eu ou simplesmente não está disposto a ir no cinema pagar pra ver.

porta dos fundos contrato vitalicio filme

Vou começar tirando uma coisa da frente logo de cara. O filme é legal. Não é maravilhoso e não é uma bosta. Tem momentos e piadas bacanas que te fazem realmente rir das situações, os atores estão bem, tanto Gregório e Porchat, quanto o Marcos Veras, Antonio Tabet e o restante do elenco. E quando eu falo estão bem, é estão bem a nível do que eu conheço do Porta do Fundos, não sou especialista em atuações, só acho divertindo a forma com que eles interagem uns com os outros e todas aqueles situações e diálogos non sense.

Agora, ser simplesmente bom basta mesmo? E aqui caímos novamente na questão de poder ter acesso a isso de graça e se vale a pena ou não pagar pra assistir, e quando eu falo pagar não é simplesmente o valor do ingresso no cinema, é o deslocamento, o lanche, sair de casa e toda a logistica envolvida em se deslocar para o cinema só para isso.

O roteiro do filme é bacana justamente em pequenas doses, em esquetes, em situações e situações a diversas figuras conhecidas de todo mundo, o personagem interpretado pelo Luis Lobianco ficou bacana pra caramba justamente fazendo essa conexão do filme com o mundo real. Mas isso já não é algo que estamos acostumados a ver nos vídeos de 2 ou 3 minutos da internet?

porta-dos-fundos

A historia em si não tem nada demais, não arrisca, não surpreende e não sai da zona de conforto dos caras. Até entendo que a pessoa que está indo ao cinema está indo pra ver o Porta dos Fundos, pra ver o que eles já gostam. Mas nesse caso já se tem isso de graça na internet. O meu ponto aqui é, Vá ao cinema assistir se você gosta muito dos caras, tente pegar um dia mais barato, eu mesmo paguei 10 reais no ingresso, não posso dizer que é um preço injusto pelo que eu recebi, mas se você está esperando algo revolucionário, inovador ou ver algo totalmente diferente do que o Porta já faz no Youtube, você pode sair meio decepcionado.

Porta dos Fundos: Contrato Vitalício é uma série de pequenas esquetes, umas engraçadas e outras não, que forma um longa de 1 hora e 40 minutos. O filme vai bem em algumas partes e em outras deixa a desejar, como final por exemplo, que ficou simples demais e poderia ter ousado um pouco, mas em geral isso se reflete no filme todo, faltou mostrar algumas coisas diferentes do que já temos visto e o Porta preferiu jogar de forma mais segura com o que eles já sabem fazer. Vão ao cinema ver e tirar suas próprias conclusões, mas se não forem e ficarem assistindo os vídeos do youtube, dará quase na mesma também.

Gostou? Compartilhe!!!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sobre Oni

Especialista em compras compulsivas. Mestre em largar jogos pela metade. Doutor em Leitura de livros com figuras. Príncipe em assistir séries pela metade . Rei da procrastinação. Deus do meu mundo.

Deixe uma resposta